studynotes

Repositório para armazenar todas as anotações de cursos feitos

View on GitHub

Aula 1 - A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO E SEUS MODOS DE TRANSMISSÃO

Dados / Informação / Conhecimento

Dados / Informação / Conhecimento

Conhecimento tácico (implícito)

Não pode ser transmitido por manuais ou documentos escritos. Esse tipo de conhecimento somente pode ser transmitido oralmente ou por observações das práticas realizadas.

Através de experiências profissionais e percepções com relação à organização é que o conhecimento tácito é desenvolvido. Assim, esse tipo de conhecimento é muito mais difícil de ser transmitido e articulado.

O conhecimento tácito pode ser classificado em duas dimensões:

  1. Dimensão técnica

    Integra as habilidades de difícil detecção e transmissão, muitas vezes denominada “know-how”.

    As intuições, palpites e inspirações também são categorizadas nesta classificação.

    Exemplos de conhecimento tácito: - Habilidade de um jogador de futebol; - Habilidade um pianista famoso; - Habilidade de um cozinheiro estrelado.

  2. Dimensão cognitiva

    Integra as percepções, crenças, emoções e expressa a forma como percebemos o mundo ao redor de nós.

Conhecimento codificável (explícito)

O conhecimento codificável, ou explícito, é aquele que pode ser transferido por meio de documentos, manuais e mídias eletrônicas. Esse tipo de conhecimento pode ser transferido de forma facilitada e simples e por isso apresenta uma estrutura formal.

Exemplo de conhecimento codificável:

Além disso, o conhecimento codificável pode ser expresso e transmitido facilmente em uma das linguagens conhecidas, como palavras, números e gráficos.

Devido a essa característica, o conhecimento codificável possui baixo custo de distribuição e muitos dados disponíveis.

A produção do conhecimento explícito pode ter resultados incertos devido ao elevado esforço de produção desse tipo de conhecimento. Dessa forma, de acordo com Dálcio Reis (2008), são necessários alguns incentivos para a produção do conhecimento explícito, como: intervenção do estado e atribuição de direitos de propriedade intelectual.

Características, Intervenção do Estado e Direitos de Propriedade Conhecimento Codificável x Tácito Classificação da gestão do conhecimento

Conceito de conhecimento: O conhecimento pode ser entendido como um processo em que a crença pessoal é justificada em relação à verdade.

Aula 2 - CRIAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DO CONHECIMENTO

Portanto, o conhecimento é a informação que possui maior importância em uma empresa, visto que é necessário análise, síntese e reflexão.

O conhecimento é representado pelo somatório das experiências de uma pessoa e/ou organização e só existe na mente humana. Para que a informação se transforme em conhecimento, a intervenção ativa de seres humanos é condição crucial e uma premissa desta aula é que o conhecimento só existe na mente humana e na fronteira entre as mentes.

A socialização é um tipo de interação que caracteriza a primeira etapa da conversão do conhecimento. Assim, você observará a conversão de conhecimento tácito para o conhecimento codificável.

Para Nonaka e Takeuchi (1997), no momento em que a interação entre o conhecimento tácito e o conhecimento explícito é elevada a níveis organizacionais, podemos afirmar que ocorreu a criação do conhecimento.

Isso é conhecido como técnica SECI: Socialização, Externalização, Combinação e Internalização.

  1. Socialização: Está associada às teorias dos processos e da cultura organizacional e tem como finalidade o compartilhamento de experiências. O processo é constituído do compartilhamento das experiências, sendo possível, assim, adquirir conhecimento tácito.
  2. Externalização: Tem como finalidade transformar o conhecimento tácito em conceitos de conhecimento explícito. Esse processo pode ser realizado através da utilização de metáforas, conceitos, analogias ou modelos. A externalização é criada pelo diálogo e pela reflexão do grupo de pessoas. Um método comumente utilizado para criar um conceito é a combinação de dedução e indução.
  3. Combinação: Combina os conhecimentos adquiridos pelos indivíduos e reconfigura essas informações com a finalidade de criar novos conhecimentos. Assim, a combinação é um processo sistêmico de conceitos que mesclam diferentes conhecimentos explícitos. Portanto, é a forma de converter diferentes conjuntos de conhecimento explícito para a criação de um novo conhecimento explícito.
  4. Internalização: Constituída de um processo de integração do conhecimento explícito ao conhecimento tácito. O conhecimento explícito auxilia as pessoas a internalizar as experiências que elas adquiriram. Para que esse processo seja realizado são desenvolvidos documentos, manuais ou relatórios a fim de facilitar a transferência do conhecimento explícito dentro das empresas. A internalização possui como um dos objetivos a criação de novos modelos mentais e a expansão do conhecimento individual de cada pessoa.

A externalização é a grande chave, pois cria novos conceitos a partir de conhecimentos tácitos.

Técnica SECI

O efeito da técnica SECI é representado na forma de uma espiral por acontecer de forma cíclica e continua.

  1. Intenção: A intenção organizacional é responsável por impulsionar a espiral de conhecimento, pois essa intenção demonstra os objetivos da organização em relação às suas metas. Essa intenção torna-se inclusive parte das estratégias organizacionais.
  2. Autonomia: uma equipe autônoma possui habilidade de realizar diversas funções e de melhorar as perspectivas individuais para níveis superiores.
  3. Flutuação e caos criativo: A ideia da flutuação é inserir uma interrupção nas rotinas e hábitos dos indivíduos em uma organização. O caos é uma condição gerada naturalmente e ocorre normalmente em uma crise enfrentada pela empresa.
  4. Redundância: Garante que o conhecimento ocorra em nível organizacional e prega que a informação supere aquelas necessárias para atender às exigências operacionais de uma organização.
  5. Variedade de requisitos: Mostra a importância de que o acesso às informações aconteça de forma rápida e flexível em todos os níveis de uma organização.

Técnica SECI

A gestão do conhecimento é responsável por proporcionar o melhor uso das informações disponíveis e fomentar a produção de novos conhecimentos.

A criação de conhecimento em uma empresa não faz parte apenas de um setor especializado da mesma, mas de um comportamento e uma forma de ser de todos os colaboradores. A principal função de uma empresa criadora de conhecimento é a de difundir o conhecimento e disponibilizá-lo da forma mais simples para os outros.

É importante ressaltar que apenas transmitir o conhecimento não gera valor agregado. Os problemas devem ser identificados e a forma de solucioná-los deve ser colocada em prática.

Aula 3 - O que é inovação?

A inovação é o resultado da atividade criativa de pequenas e grandes empresas que trabalham diariamente para solucionar problemas e descobrir novas ferramentas empreendedoras.

Essas atitudes inovadoras são consequência da busca de conhecimento, experiência e observação dos processos.

A inovação pode ser entendida como um produto ou processo novo e/ou melhorado, ou, ainda, como a forma criativa de organização de uma empresa.

A invenção é quando uma ideia torna-se concreta, como um produto, um processo ou um modelo de negócio.

Para Polli (2015), quando essa invenção é aceita pelo mercado e pressupõe benefícios para a sociedade, ela é considerada uma inovação.

A inovação não está relacionada a uma invenção. Você pode realizar um processo inovador em um tipo de serviço, mas que não corresponde a um tipo de invenção.

Conceito de Inovação: Ideia + Resultados + Implementação = INOVAÇÃO

Outra definição completa do conceito e inovação nas empresas abrange 3 tópicos principais (LUIZ, 2013):

  1. É importante que ocorra uma mudança no conceito e que a partir desse novo conceito seja proposta uma solução única para o consumidor;
  2. Essa solução deve promover uma vantagem que gere competitividade para as organizações;
  3. A solução deve gerar um valor diferenciado aos stakeholders da organização.

A inovação, portanto, deve ser importante para o consumidor e para o setor financeiro da empresa (acionistas) e ser sustentável em longo prazo.

Elementos fundamentais para inovar:

Conhecimento é um dos elementos primordiais para geração da inovação. A partir dele as ideias surgem e são niveladas e quantificadas por especialistas.

A criatividade é outro elemento primordial na geração de ideias. Sem criatividade o processo de inovação torna-se muito difícil. As pessoas que possuem como característica a criatividade produzem maior número de propostas para as soluções dos problemas organizacionais e possuem capacidade de compreender melhor o processo de geração de conhecimento.

O empreendedorismo é responsável por colocar o conhecimento e a criatividade desenvolvidos em prática e assim implementar a inovação.

Inovação Incremental x Radical

A inovação incremental possui a característica de incentivar diretamente as organizações a criarem dentro delas uma cultura de inovação.

Gráfico da Inovação Incremental

Estratégias de inovação

  1. Ofensiva: Nela a empresa busca uma posição de liderança técnica e de mercado. As empresas que escolhem essa estratégia comumente possuem departamento direcionado para a inovação, que tem grande importância e que receberá investimentos financeiros constantes para realização de novos projetos. Essas empresas valorizam muito a mão de obra qualificada e investem em sistemas de patentes, muitas vezes fruto das atividades de P&D.

  2. Defensiva: Na estratégia “Defensiva”, a empresa analisa os erros dos pioneiros e, assim, evita a defasagem em termos de mudanças técnicas. As empresas que utilizam a estratégia defensiva também realizam atividade de P&D. Contudo, usam o conhecimento adquirido para responder rapidamente as mudanças e se adaptar às inovações desenvolvidas. Dessa forma, essas empresas desenvolvem inovações incrementais.

Modelos de gerenciamento da inovação

  1. Modelo linear:

Modelo linear

  1. Modelos interativos:

Modelos interativos

Aula 4 - Fontes de inovação

Tecnologia é um acervo de conhecimentos de uma sociedade sobre a ciência e esse conhecimento relaciona-se com a indústria.

Classificação da tecnologia

  1. Tecnologia materializada: Constituída pelas características de um produto final e pelos equipamentos utilizados nos processos. Exemplos: Qualidade do produto; Durabilidade; Preço; Design; Funcionalidade.
  2. Tecnologia documentada: É aquela que utiliza a documentação para descrever a solução de problemas. Exemplos: Manuais; Livros técnicos; Revistas especializadas; Layouts; Páginas da internet.
  3. Tecnologia imaterial: Pode ser definida como sendo os conhecimentos teóricos e práticos necessários para criar, desenvolver e usar os bens e serviços. A tecnologia imaterial pode ser adquirida por meio da formação inerente ao exercício da aplicação do conhecimento. Exemplo: Experiência acumulada por um profissional na resolução de um determinado problema.

Conceito de inovação tecnológica

Alguns estudiosos conceituam a inovação como sendo uma criação original, uma novidade. Outros como algo tangível, ou seja, que é possível de ser aplicado no mercado ou em um processo de produção. Por fim, há ainda uma abordagem mercadológica para diferentes classes de utilizadores feita por outro grupo de estudiosos. Além disso, a inovação tecnológica pode ser conceituada como a aplicação de novos conhecimentos tecnológicos, que terão como resultado o desenvolvimento de novos produtos, serviços ou melhoria de algum processo ou característica.

As empresas inovadoras comumente utilizam uma combinação de diferentes fontes de tecnologia, informação e conhecimento que sejam tanto de origem interna quanto externa.

Categorias das fontes externas:

  1. Fontes de informações abertas: Esse tipo de fonte está relacionado às informações de livre acesso, ou seja, não é necessário pagar qualquer valor sobre os direitos de propriedade tecnológica ou intelectual ou interação com a fonte.
  2. Aquisição de conhecimento e tecnologia: Esta fonte de informação está relacionada à compra de algum tipo de conhecimento externo, bens de capital e de serviços, que serão incorporados ao novo conhecimento ou tecnologia, sem interação com a fonte.
  3. Inovação cooperativa: Esta fonte exige que exista a parceria ativa com outras empresas ou instituições de pesquisa que executam atividades tecnológicas.

O que é um protótipo?

Um protótipo pode ser definido como um modelo original que inclua todas as características técnicas e as funções do novo produto ou processo.

Aceitar um protótipo significa frequentemente o término da fase de desenvolvimento experimental e o início da nova fase do processo de inovação.

O que é uma patente?

A patente é um direito legal de propriedade sobre uma determinada invenção. Ela confere ao seu detentor direitos exclusivos por um determinado período para explorar a invenção patenteada.

As pesquisas sobre inovação obtêm informação sobre a prevalência e a importância de diferentes tipos de interação e sobre quais os fatores que influenciam o uso de interações específicas.

Outra fonte importante é a inovação cooperativa que envolve a participação ativa de outras organizações em projetos de inovação. Essas empresas colaborativas não precisam necessariamente obter lucros ou benefícios comerciais imediatos. A diferença entre a cooperação e a aquisição de conhecimento e tecnologia é que todas as organizações envolvidas assumem um papel de cooperação ativo no desenvolvimento o trabalho.

Aula 5 - Empreendedorismo e inovação

Empreendedorismo pode ser entendido como uma relação entre pessoas e processos que, em conjunto, conduzem à transformação de ideias em oportunidades cuja implementação promove a criação de negócios de sucesso.

Assim, quando você se torna uma pessoa empreendedora, adquire habilidades de identificar oportunidades de negócios onde outras pessoas não perceberam ou não empregaram esforços para transformá-las em resultados de sucesso.

Principais características de um empreendedor

Uma pessoa empreendedora é observadora, tem visão estratégia do negócio e mostra espírito de liderança. A maior de suas habilidades é a criatividade, aliada ao compromisso para executar o trabalho ao que se propôs.

Os empreendedores de sucesso possuem as seguintes características:

Segundo o Sebrae, as principais características do empreendedor de sucesso são:

O empreendedor proporciona a destruição criativa, caracterizada pela introdução de novos meios de produção, novos produtos e novas formas de organização.

# Aula 6 - Empreendedorismo no Brasil

Empreendedor = indivíduo disposto a assumir riscos.

O empreendedorismo pode ser relacionado à inovação e ao desenvolvimento econômico e pode ser conceituado como uma nova técnica, um novo produto ou, ainda, uma nova forma de gestão organizacional.

O que é benchmarking?

O benchmarking pode ser definido como um processo de pesquisa ou como uma comparação de produtos, serviços e práticas das empresas. Essa ferramenta é instrumento importante de gestão para os empreendedores.

É de grande importância que o empreendedor conheça bem o mercado em que atuará. As chances de sucesso de um empreendedor diminuem muito se o mesmo não conhece ou nunca atuou na atividade que exercitará.

O que é GEM?

Esse programa de pesquisa é uma avaliação de abrangência mundial do nível da atividade empreendedora.

O programa foi iniciado em 1999, com a participação de apenas 10 países. Nos últimos anos, 80 países já participaram da pesquisa e isso cresce ano após ano.

O GEM estuda detalhadamente o comportamento das pessoas em relação à criação e gerenciamento de novos negócios. Estes dados são importantes e servem de base para compreender a atividade empreendedora em cada nação.

O programa ainda auxilia na identificação de fatores críticos que contribuem ou não para a iniciativa empreendedora nos países pesquisados.

O Brasil participa da pesquisa GEM desde do ano de 2000. A pesquisa é realizada através do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP) e possui o apoio técnico e financeiro do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).

Apresentação dos resultados do GEM

O GEM divide a apresentação dos seus resultados em 3 categorias de países:

1) Factor-driven

Economias baseadas na extração e comercialização de recursos naturais.

Os países que pertencem a este grupo possuem grande parte da população vivendo no campo e, por isso, podemos afirmar terem um setor agrícola forte, que fornece subsistência para a grande maioria de sua população.

O crescimento econômico deste grupo ocorre quando a atividade industrial começa a crescer, geralmente no setor de extração de recursos naturais. Levando, assim, a grande maioria dos trabalhadores rurais a se deslocarem em direção às cidades em que os setores industriais estão intensos.

Dessa forma, o empreendedorismo neste grupo ocorre como resultado da grande oferta de mão de obra, pois os trabalhadores começam a procurar novas oportunidades de subsistência.

2) Efficiency-driven

Economias orientadas para a eficiência e a produção industrial em escala.

Nos países que pertencem a este grupo, o setor industrial já possui maior desenvolvimento e, por isso, instituições surgem a fim dar suporte à industrialização e promover um resultado com maior produtividade.

É comum neste grupo de países que exista políticas econômicas que favoreçam as grandes empresas nacionais.

3) Innovation-driven

Economias baseadas na inovação.

O terceiro grupo de países possui uma economia mais madura e, por isso, tem um aumento de sua riqueza.

Os setores industriais mudam gradualmente com a intenção de suprir as necessidades das pessoas que detêm renda maior, fornecendo produtos e serviços variados e sofisticados.

Você sabe a que o desenvolvimento de uma empresa está associado?

Os desenvolvimentos das atividades de uma empresa podem ser associados ao setor P&D, que é responsável pelo desenvolvimento e pesquisa de determinados serviços ou produtos.

Além do setor P&D de uma empresa, outras instituições promovem a abertura do caminho para o desenvolvimento do empreendedorismo, como:

O que consta no relatório anual do GEM?

Agora vamos conhecer alguns conceitos presentes no relatório anual do GEM.

1. Valores sociais sobre o empreendedorismo

Definição de como o empreendedorismo é visualizado pela sociedade.

2. Autopercepção sobre empreendedorismo

Pode ser definida pela:

3. Fases/Tipos de atividade empresarial

4. Motivação para o início da atividade empresarial

Está relacionada aos motivos que os empresários de oportunidade de melhoria (IDO) buscam para melhorar a sua situação financeira.

O GEM criou o Índice Motivacional para avaliar a prevalência relativa dos empreendedores de oportunidade de melhoria em comparação com os que são motivados pela necessidade.

5. Distribuição de idade no início da atividade empresarial

O padrão geral em relação à idade para o empreendedorismo demonstra as maiores taxas de participação entre os 25 e 44 anos.

Os chamados jovens empresários são aqueles que estão no início da sua carreira. Os empresários adultos são aqueles que já possuem certa experiência.

6. Participação do setor industrial

Compara a participação industrial de vários países, ou seja, analisa quais países operam mais nos setores agrícola, de mineração, de transportes etc.

Por meio da visão do desenvolvimento econômico, a participação industrial é dividida em dois grupos:

7. Criação de emprego

Existem dois tipos de empresários:

São considerados não empregadores aqueles empresários que não possuem a pretensão de contratar ninguém nos próximos cinco anos. No entanto, as projeções representadas podem, em alguns casos, não condizer com a realidade.

8. Inovação

A inovação é representada pela novidade para um mercado e dentro de uma indústria.

A pesquisa GEM avalia, assim, os empresários que estão introduzindo produtos ou serviços que são novos para alguns ou todos os clientes, e que são oferecidos por poucos ou nenhum concorrente.

9. Internacionalização

Mede a quantidade de empreendedores em porcentagem que possuem mais de 25% de suas vendas para área externa de sua economia.

Empreendedorismo no Brasil

O perfil do empreendedorismo no Brasil deve ser analisado não apenas pelas características dos empreendedores e dos seus empreendimentos. É importante que se entenda também a mentalidade das pessoas em relação ao tema.

É Interessante que você observe que, em relação às habilidades, conhecimentos e experiências para iniciar um empreendimento, a maioria dos brasileiros permanece com uma avaliação favorável de si mesmos, julgando-se detentores destes atributos que são necessários à realização de uma atividade empreendedora.

Objetivos da pesquisa GEM

Analisar detalhadamente o comportamento das pessoas em relação à criação e ao gerenciamento de novos negócios. Este programa de pesquisa é uma pesquisa de abrangência mundial do nível da atividade empreendedora. O programa foi iniciado em 1999, com a participação de apenas 10 países. Nos últimos anos, 80 países já participaram da pesquisa e a mesma cresce ano após ano.

Conceitos abordados na pesquisa GEM

Dados apresentados em relação a empreendedores no Brasil

Os dados mostram que ocorre uma queda do número dos empreendedores nascentes. Essa redução pode ter sido causada pelo aumento da esperança das pessoas de se recolocarem no mercado de trabalho e obterem um trabalho formal.

Características de empreendedores em relação a gênero

Os homens possuem uma taxa maior em relação ao envolvimento com o empreendedorismo do que as mulheres.